quinta-feira, 31 de julho de 2014

TRE define plano de mídia e tempo dos candidatos no horário eleitoral gratuito


O Tribunal Regional Eleitoral do Maranhão (TRE-MA) divulgou, ontem (30), os tempos que os seis candidatos ao governo do estado terão para seus programas de rádio e televisão. Segundo a Justiça Eleitoral, Lobão Filho (PMDB), terá 9 minutos e 28 segundos; Flávio Dino (PCdoB), 5 minutos e 59 segundos; Pedrosa (PSOL), 1 minuto e 11 segundos; enquanto que Zeluis Lago (PPL), Saulo Arcangeli (PSTU) e Josivaldo Correa (PCB), terão 1 minuto e seis segundos, cada um.

Os dados fazem parte de minuta de resolução de audiência pública realizada na tarde de ontem, com a participação dos representantes de várias coligações que participaram das eleições majoritárias e proporcionais.

A divisão dos minutos foi realizada com base nos critérios previstos na Lei das Eleições - um terço é dividido igualmente entre todos e o restante leva em conta o tamanho das bancadas na Câmara dos Deputados.

A propaganda no rádio e na TV começa no dia 19 de agosto e será dividida em dois blocos diários de 25 minutos cada, um à tarde e outro à noite.

Plano de mídia

Além dos tempos de programas, foram definidas as emissoras que vão gerar os conteúdos para rádio e televisão. Por consenso, a TV Mirante ficará responsável pela geração de mídia; enquanto que a Rádio Timbira foi sorteada para distribuir os conteúdos para rádios.

quarta-feira, 30 de julho de 2014

Sistema Mirante define cobertura para as Eleições 2014

Foi realizada na manhã desta quarta-feira (30), na sede do Sistema Mirante, no São Francisco, a segunda reunião entre os representantes de partidos políticos e de emissoras e veículos do grupo para definir pontos da cobertura das Eleições 2014. Conduziram a reunião o diretor-geral de Mídias Eletrônicas, Rômulo Barbosa; o diretor de Jornalismo da TV Mirante, Roberto Prado; a chefe de redação da TV Mirante, Eveline Cunha; e o coordenador de Jornalismo da Rádio Mirante AM, Zeca Soares.

Na TV Mirante, a cobertura tem início no dia 4 de agosto, com a divulgação das agendas dos candidatos. Conforme ficou acordado entre os representantes, haverá rodízio na divulgação das agendas com imagens – com o acompanhamento do dia a dia de campanha – e por meio de gerador de caracteres. No primeiro dia, conforme ordem de sorteio, serão divulgadas as agendas de Flávio Dino (PCdoB, coligação "Todos pelo Maranhão"), Josivaldo Correa (PCB) e Saulo Arcangeli (PSTU); no segundo dia, serão divulgadas as agendas de Lobão Filho (PMDB, coligação "Pra frente Maranhão"), Luís Pedrosa (Psol) e José Luís Lago (PPL); seguindo a ordem nos dias subsequentes. A eles, serão feitas perguntas sobre as propostas de governo.

A emissora, também, vai realizar duas rodadas de entrevistas temáticas, ao vivo, nos telejornais JMTV 1ª edição – ao meio-dia – e JMTV 2ª edição – 19h15. As entrevistas no JMTV 2ª edição – telejornal que conta com 65% de participação na audiência, no Estado –, que abrem a série, têm início no dia 18 de agosto – antes do início da propaganda eleitoral obrigatória no rádio e TV –, e ocorrem de segunda a sexta-feira. Todos os candidatos terão o mesmo tempo, que, ainda, será definido para adequação à grade de programação da TV Globo. O primeiro a ser entrevistado, por ordem de sorteio, é Lobão Filho, seguido por Luís Pedrosa, Saulo Arcangeli, Josivaldo Correa, Flávio Dino e José Luís Lago.

A partir do dia 15 de setembro, ocorrem as entrevistas no JMTV 1ª edição – que conta com 69% de participação na audiência. Pela ordem de sorteio, serão entrevistados Saulo Arcangeli, Flávio Dino, Luís Pedrosa, Josivaldo Correa, Lobão Filho e, encerrando a última rodada no primeiro turno, José Luís Lago.
Áudios e imagens das entrevistas não poderão ser utilizados em seus programas eleitorais, assim como em outros telejornais da emissora. O candidato que se sentir ofendido terá direito de resposta concedido no mesmo telejornal no dia seguinte, com o tempo de um minuto. O candidato que faltar não terá compensação.

Debate

Foi discutida, ainda, a realização do debate entre os candidatos, prevista para ocorrer no dia 30 de setembro, transmitido, ao vivo, pela TV Mirante e o portal G1 Maranhão. Segundo o diretor de Jornalismo da TV Mirante, Roberto Prado, as regras do debate e o número de participantes serão definidos em outra reunião.

Rádio e portais

A cobertura das eleições da Rádio Mirante AM e portais Imirante.com e G1 Maranhão, também, estiveram na pauta da reunião desta quarta-feira. A rádio irá transmitir, a partir do dia 11 de agosto, uma rodada de entrevistas no programa Ponto Final, conduzido pelo jornalista e radialista Roberto Fernandes. As entrevistas de tema livre – mas seguindo os principais pontos das propostas de governo dos candidatos – serão ao vivo, ocorrem de segunda-feira a sábado, terão duração de 1h30 e serão transmitidas pelas 37 emissoras que compõem a Rede Mirante Sat de Rádio, das quais quatro são emissoras próprias. A transmissão simultânea ocorre, ainda, pela internet, em áudio pelo site da rádio e em áudio e vídeo pelo Imirante.com.

Participam das entrevistas, cinco jornalistas da rádio, jornal O Estado do Maranhão e portais Imirante.com e G1 Maranhão. Por ordem de sorteio, serão entrevistados, a partir do dia 11, Josivaldo Correa, Lobão Filho, José Luís Lago, Luís Pedrosa, Saulo Arcangeli e Flávio Dino.

Na segunda rodada, que tem início no dia 22 de setembro, as entrevistas ocorrem na seguinte ordem: Flávio Dino, Luís Pedrosa, Lobão Filho, Josivaldo Correa, José Luís Lago e, encerrando a segunda rodada, Saulo Arcangeli.

Os representantes participarão de, ao menos, outras duas reuniões previstas para o primeiro turno das eleições. Os pontos de discussão da reunião de hoje farão parte de um documento, assinado por todos os representantes, e serão protocolados nesta tarde, no Tribunal Regional Eleitoral do Maranhão (TRE-MA).

Eleitores de 45 a 59 anos estão na faixa etária predominante nas eleições 2014

Em um universo de 142.822.046 eleitores aptos a votar nas eleições de outubro, a faixa etária predominante é a de eleitores de 45 a 59 anos. São atualmente 33.790.849 (23,66%), número que, se comparado às eleições gerais de 2010, subiu cerca de 1%. Naquele ano, os eleitores nessa faixa etária somavam 30.753.427. Os dados constam das Estatísticas do Eleitorado 2014, disponíveis no Portal do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) na internet.

Entre os idosos, com idades acima dos 60 anos, a evolução do eleitorado também subiu em relação a 2010. Em 2014, os eleitores idosos chegam a 24.297.096 (17% do total), cerca de 2% a mais do que em 2010, quando somavam 20.769.458 (15,29% do total da época).

Em relação ao eleitorado jovem de 16 e 17 anos, eles somam 1.638.751 (1,15%), número inferior à mesma faixa etária de 2010, quando chegavam a 2.391.352 (1,76% do total de eleitores à época). Vale destacar que as estatísticas de 2014 consideram a idade do eleitor no dia do primeiro turno das eleições (5 de outubro) e não mais no ato da regularização do título, como era feito anteriormente.

Nas eleições municipais de 2012, mais de 2,9 milhões de eleitores na faixa etária de 16 e 17 anos votaram para os cargos de prefeito e vereador. A Constituição Federal prevê o voto facultativo para os jovens maiores de 16 anos e menores de 18 anos.

Maranhão sofre redução no número de eleitores

Lenno Edroaldo/ G1 MA

O número de eleitores maranhenses diminuiu 1,34% em relação às últimas eleições, segundo estatística divulgada no início da tarde de terça-feira (29), pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Estão aptos a votar nas eleições de 5 de outubro, 4.497.336, enquanto que em 2012, este número era de 4.558.855.
A estatística maranhense é contrária à registrada no país. De acordo com o TSE, houve um aumento de 5,17% no eleitorado nacional, saindo de 135.804.433 eleitores registrados na Justiça Eleitoral em 2012, para 142.822.046.

Em relação aos estados, o Maranhão ocupa o 11º lugar, atrás São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Bahia, Pernambuco, Ceará, Pará, Paraná, Rio Grande do Sul e Santa Catarina. Já em relação à região Nordeste, o colégio eleitoral maranhense é o quarto maior.A cidade com maior número de eleitores é São Luís, com 619.682 eleitores, o que representa 13,7% do quantitativo estadual. Logo depois os nove maiores colégio eleitorais são Imperatriz, com 164.503 eleitores (3,6%); Caxias, 107.732 (2,39%); Timon, 107.676 (2,39%); Codó, 81.143 (1,85); São José de Ribamar, 80.943 (1,8%); Açailândia, 74.765 (1,6%); Bacabal, 66.503 (1,4%), Santa Inês, 57.413 (1,27%) e Balsas, 55.154 (1,22%).

A capital maranhense também possui o maior número de eleitores que votarão pelo sistema biométrico, com 619.682 aptos a votar. Em São José de Ribamar esse número ficou em 80.943 eleitores; em Paço do Lumiar, 52.922; e em Barra do Corda, 48.657. As outras cidades maranhenses que utilizarão o sistema são: Benedito Leite, Cajapió, Fernando Falcão, Jenipapo dos Vieiras, Nova Iorque, Pastos Bons, Raposa, São Domingos do Azeitão, São João Batista e São Vicente Ferrer.

Faixa etária

A maior parte dos eleitores maranhenses está compreendida entre 25 a 34 anos, 1.167.064 eleitores. Logo depois aparecem os eleitores entre 45 a 59 anos, exatos 872.578 eleitores. O menor quantitativo é de 16 anos, 34.208 (0,76%).

As mulheres continuam a ser a maior parte do eleitorado, 2.309.955 eleitoras (51,3%) aptas a votar. Já os homens são 2.185.201 eleitores (48,5%). Segundo o TSE, 75% dos eleitores maranhenses são solteiro, enquanto que apenas 23,1%, casados.

terça-feira, 29 de julho de 2014

Humor: A conversa entre o eleitor e o político

Eleitorado brasileiro cresce 5,17%

Nas eleições do dia 5 de outubro, 142.822.046 de eleitores brasileiros estarão aptos a votar. O número representa um aumento de 5,17% em relação às eleições de 2010, quando havia 135.804.433 eleitores registrados na Justiça Eleitoral. O dado foi anunciado na terça-feira (29), pelo presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Dias Toffoli.

A maior parte dos eleitores está localizada na região sudeste, que concentra 43,44%, somando 62.041.794 pessoas. O maior colégio eleitoral é o Estado de São Paulo, com 31.998.432 eleitores. Na sequência aparecem Minas Gerais (15.248.681), Rio de Janeiro (12.141.145), Bahia (10.185.417) e Rio Grande do Sul (8.392.033). O menor colégio eleitoral é Roraima, com 299.558 eleitores. Já o município com o menor número de eleitores é Araguainha, em Mato Grosso, com 898 cidadãos aptos a votar.

Os dados estatísticos também mostram que a maior parte do eleitorado brasileiro é formada por mulheres. São 74.459.424 eleitoras representando 52,13% do total. Os homens representam 47,79%, sendo 68.247.598 eleitores.

Com informações do TSE

Justiça determina que a CAEMA realize melhorias no abastecimento do Residencial Lima Verde

A Vara de Interesses Difusos e Coletivos de São Luís determinou que a Companhia de Saneamento Ambiental do Maranhão (CAEMA) faça serviços de melhorias no Residencial Lima Verde, próximo ao Maiobão. Na decisão judicial, a determinação para que a CAEMA adote diversas providências, entre as quais promover o fornecimento de água de qualidade para todo o bairro.

Na sentença, o juiz Clésio Coelho Cunha destaca a necessidade da companhia realizar obras de esgoto no bairro. “Julgo procedente o pedido inicial, para impor à ré a obrigação de fazer consistente na prestação do serviço de abastecimento de água e esgoto com qualidade, eficiência, adequação e segurança em todo o Residencial Lima Verde”, diz na decisão.

O documento destaca o caso específico do problema de refluxo de esgoto na Rua Alta e falta de ligação do poço à rede de distribuição no Loteamento Lima Verde. “Fixo o prazo de 60 dias, a contar de sua ciência desta decisão, para cumprimento das medidas, sob pena de multa pecuniária diária no valor de R$ 1.000,00 (um mil reais)”, enfatizou.

“Determino a intimação, por Oficial de Justiça, da Companhia de Saneamento Ambiental do Maranhão – CAEMA, através de seu presidente, advertindo que o não cumprimento da vertente decisão judicial acarretará, além da multa diária cominada a pessoa jurídica, a imposição das sanções pessoais legalmente cabíveis em razão do descumprimento de ordem judicial”, finalizou a decisão judicial.

SMTT coloca em funcionamento novo sistema de fiscalização eletrônica no trânsito de São Luís

A Seacretaria Municipal de Trânsito e Transportes (SMTT) deu início ontem (28) ao novo sistema de fiscalização eletrônica implantado pela Prefeitura de São Luís nas principais avenidas da capital. As novas barreiras eletrônicas, fotossensores e radares modernizam o sistema de sinalização e fiscalização eletrônica, que vinha tendo problemas constantes desde outubro de 2012.

Segundo a SMTT, a modernização do sistema de fiscalização eletrônica integra o Plano Estratégico de Melhorias para o Trânsito anunciado em março deste ano pela Prefeitura. A implantação da nova sinalização eletrônica garante maior fiscalização, controle de velocidade e a própria fluidez no tráfego. Todos os equipamentos contam com radares fotográficos embutidos.

Após o período de testes, as barreiras eletrônicas da Avenida dos Holandeses, próximo à entrada da Avenida Litorânea, irão controlar a velocidade dos veículos que circulam nos dois sentidos da via em 40Km/h. Os fotossensores começarão a funcionar nas avenidas Colares Moreira, próximo ao Shopping Tropical; Daniel de La Touche, próximo ao bambuzal, Colégio Adventista e SMTT e Litorânea.

Os novos fotossensores registrarão as infrações de avanço de sinal vermelho e parada sobre a faixa de pedestre e também a velocidade com que o veículo cruza a sinalização, funcionando como um radar convencional, que disciplinará a redução de velocidade.

O equipamento também fará o registro dos condutores que transitarem em sinal verde com velocidade superior a 60 km/h. O objetivo é promover a diminuição do número de acidentes, fixando a velocidade máxima em 60 Km/h.

segunda-feira, 28 de julho de 2014

Prazo para prestação de contas de campanha começa nesta segunda

Os candidatos, partidos políticos e comitês financeiros tem de 28 de julho a 2 de agosto para entregar a primeira parcial da prestação de contas de campanha à Justiça Eleitoral (JE). Já a segunda parcial deverá ser apresentada de 28 de agosto a 2 de setembro. Ambas deverão conter a discriminação dos recursos em dinheiro ou estimáveis em dinheiro para financiamento da campanha eleitoral e dos gastos que realizaram, detalhando doadores e fornecedores.

A divulgação dos dados pela Justiça Eleitoral da primeira parcial será no dia 6 de agosto e da segunda parcial no dia 6 de setembro. Nos casos em que os candidatos, partidos políticos e comitês financeiros não encaminharem as prestações de contas parciais, a Justiça Eleitoral divulgará os saldos financeiros, a débito e a crédito, dos extratos bancários enviados pelas instituições financeiras.

As prestações de contas finais de todos os candidatos deverão ser enviadas até 30 dias depois da realização das eleições. A publicidade destas informações se dará à medida que as prestações de contas forem sendo recepcionadas pela Justiça Eleitoral.

No caso da não prestação de contas nos prazos fixados, a Justiça Eleitoral notificará os candidatos, partidos políticos e comitês financeiros, no prazo de cinco dias, para prestá-las em até 72 horas, sob pena de tê-las julgadas como não prestadas. Situações de ausência de movimentação de recursos de campanha, financeiros ou estimáveis em dinheiro não isenta do dever de prestar contas.

A prestação de contas dos diretórios nacionais e estaduais, conjuntamente a dos seus comitês financeiros constituídos, deverá ser encaminhada ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e aos Tribunais Regionais Eleitorais (TREs), respectivamente.

Os vices e os suplentes não prestam contas isolada­mente e suas documentações devem ser entregues aos respectivos titulares. No caso de estes não respeitarem o prazo legal, a informação pode ser prestada separadamente, contada da notificação, no prazo de 72 horas. Caso contrário, os processos podem ser julgados como não prestados e, como consequência, os candidatos eleitos podem não ser diplomados.

Em casos de situação de renúncia, quando o candidato for substituído ou tiver o registro indeferido pela Justiça Eleitoral, a prestação de contas deverá ser correspondente ao período em que participou do processo eleitoral, mesmo que não tenha realizado campanha. Já se o candidato falecer, a obrigação de prestar contas, referente ao período em que realizou campanha, será de seu administrador financeiro ou, na sua ausência, da respectiva direção partidária.