Banner da Prefeitura de São Luís

Banner da Prefeitura de São Luís

quinta-feira, 19 de abril de 2018

A incógnita eleitoral de Braide


Já estamos a menos de seis meses para as eleições de outubro e uma pergunta que ainda não quer calar é se o deputado estadual Eduardo Braide (PMN) vai mesmo para uma disputa ao Palácio dos Leões ou se o nobre parlamentar irá concorrer a uma das 18 vagas da bancada maranhense na Câmara Federal.

Até agora o deputado Braide aparece com boas intenções de concorrer ao pleito majoritário para o comando do estado, que hoje é terreno comunista. No entanto, perdeu seu principal padrinho político, após a ida do ex-governador e atual deputado federal José Reinaldo Tavares para o PSDB, que terá como candidato ao governo, o senador Roberto Rocha.

Enquanto isso, Braide vai surfando com sua exposição midiática nas redes sociais e na imprensa, tentando encontrar seu rumo certo para a eleição vindoura.

Recentemente, o parlamentar anunciou que deverá ter em seu palanque (?) lideranças do partido Rede Sustentabilidade (Rede), que terá como candidata à presidência da República, a ex-ministra e ex-senadora Marina Silva.

Vamos aguardar!

Vem aí o 19º Tributo a Coxinho!


Câmara deve votar empréstimo de R$ 100 milhões à Prefeitura


O plenário da Câmara Municipal de São Luís deve colocar em pauta, na sessão da próxima segunda-feira, 23, o pedido de empréstimo da ordem de R$ 100 milhões junto ao Banco do Brasil feito pelo prefeito Edivaldo Holanda Junior (PDT), para apreciação e votação da matéria.

A expectativa da base aliada do gestor municipal é que a solicitação seja aprovada pela Casa, liberando a Prefeitura para a realização de obras e serviços públicos na capital maranhense, em especial nesse período de intensas chuvas.

Porém, vereadores que não compõem a base aliada do prefeito Edivaldo na Câmara afirmam que não aceitam e não votam o projeto, enquanto não houver um maior detalhamento sobre quais áreas da cidade serão beneficiadas pelo montante do empréstimo.

Os não aliados do gestor municipal pedetista alegam que o pedido de empréstimo possa ser desvirtuado e usado eleitoralmente. 

Pedido de impeachment de Temer pode atrapalhar candidatura Roseana


Já circula nos bastidores que o pedido de impeachment, apresentado na quarta-feira, 18, pelo senador amapaense Randolfe Rodrigues (Rede), contra o presidente Michel Temer (MDB) pode ter consequências políticas direta no palanque de campanha da ex-governadora Roseana Sarney (MDB), na tentativa de retomar o comando do Palácio dos Leões, nas eleições de outubro.

As consequências maiores se deve à proximidade do ex-presidente e ex-senador amapaense, José Sarney (MDB), ao presidente Temer, cuja vinda ao Maranhão já estava sendo articulada na montagem do palanque da ex-governadora Roseana no estado.

Porém, o pedido de impeachment do senador Randolfe bota um balde de água fria ao argumentar que o presidente Temer mentiu para a Polícia Federal ao afirmar que nunca fez transações com o coronel aposentado João Batista Lima Filho e que suas campanhas não tiveram caixa dois.

Por ser um dos caciques do MDB, a baixa popularidade e a imagem desgastada de Temer pode não ajudar a garantir um maior desempenho eleitoral da campanha da ex-governadora Roseana, que luta contra a máquina estatal comunista do governador Flávio Dino (PCdoB), que busca a reeleição para mais um mandato de quatro anos no Maranhão.

quarta-feira, 18 de abril de 2018

"Até o momento, só tem uma candidatura", diz Astro


O presidente da Câmara Municipal de São Luís, vereador Astro de Ogum (PR), confirmou nesta quarta-feira, 18, com exclusividade ao programa Câmara em Destaque (Rádio Difusora AM- 680Khz), que no momento só existe uma candidatura definida para o comando da Mesa Diretora da Casa.

Questionado insistentemente pelo repórter Juarez Sousa sobre se irá ou não disputar a reeleição para a presidência do Legislativo, Astro fez questão de enfatizar que "até o momento, só existe uma candidatura", numa clara alusão a seu principal adversário na disputa interna, o primeiro vice-presidente Osmar Filho (PDT), que teria o apoio do governador Flávio Dino (PCdoB).

Astro voltou a reafirmar sua predisposição de utilizar, no momento certo, a tribuna da Câmara Municipal para esclarecer fatos que envolvem a eleição para a escolha dos novos membros da Mesa Diretora, cuja discussão pode ficar para agosto. "...Estarei na presidência da Câmara até 31 de dezembro deste ano e mais dois anos de mandato".

Apesar disso, há uma corrente de vereadores que esperam que o pleito ocorra o mais breve possível.

Nome de ex-secretário passará pelo crivo do PT na corrida ao Senado


Apesar de ser considerado um petista histórico, o nome do ex-secretário estadual de Esportes, professor Márcio Jardim, deve passar nas próximas horas pelo crivo da Executiva Estadual do PT, na corrida por uma candidatura do partido ao Senado da República no Maranhão, para as eleições de outubro.

Superada a celeuma sobre a possibilidade de filiação do deputado federal Waldir Maranhão nas hostes petistas, cujo parlamentar acabou indo se abrigar no ninho adversário do PSDB, Jardim passa a ser um dos nomes fortes para indicação do partido ao Senado, com anuência até mesmo da Executiva Nacional do PT, ligada ao ex-presidente Lula.

Márcio Jardim chegou a integrar o primeiro escalão do governo Flávio Dino (PCdoB) desde o início da gestão em 2015, sendo que dois anos depois o então secretário foi exonerado, numa trama espúria, mesmo a contra-gosto de lideranças petistas que integram a gestão comunista no estado.

Vala aguardar os desdobramentos!

terça-feira, 17 de abril de 2018

Vereador pede convocação de secretário para explicar alagamentos


O líder do PSD na Câmara Municipal de São Luís, vereador Cezar Bombeiro, usou a tribuna da Casa nesta terça-feira, 17, e pediu a imediata convocação do secretário de Obras e Serviços Públicos, Antônio Araújo, para explicar os contantes alagamentos nas principais avenidas da capital, decorrentes das fortes chuvas que têm caído na cidade nos últimos dias.

Para o parlamentar, alguma coisa está errada, na medida que existem medidas preventivas para evitar fatos dessa natureza. 

"Queremos saber porque estão acontecendo esses alagamentos. Aqui mesmo nesta Casa, fiz uma audiência pública sobre galerias e valas. Infelizmente quem era para estar nesta Casa, durante a discussão, ouvindo nossas sugestões, não apareceu, que era o secretário de Obras".

Bombeiro disse que a população de São Luís exige uma resposta imediata. "A população quer uma satisfação e é por isso que estou convocando o secretário de Obras para saber o por quê desse alagamento na cidade. Ninguém pode ficar aqui calado, pois fomos eleitos pelo povo para representarmos".

Na oportunidade, o parlamentar do PSD destacou que ninguém quer colocar a culpa no prefeito (Edivaldo Holanda Junior). "Mas precisamos saber o que está acontecendo".

STF deve julgar denúncias da PGR contra Sarney e líderes do MDB


O ex-presidente José Sarney e demais caciques do MDB continuam no fogo cruzado do suposto envolvimento em crimes de corrupção passiva, ativa e lavagem de dinheiro, entre 2008 e 2012, com a empresa Transpetro, considerada o braço da logística e transporte da Petrobras. A denúncia foi encaminhada ao Supremo Tribunal Federal (STF) em agosto de 2017, e ainda aguarda análise da Suprema Corte.

Na segunda-feira, 16, a Procuradoria-Geral da República (PGR) enviou réplica às alegações da defesa de quatro senadores, dois ex-senadores e três executivos de empreiteiras envolvidos. 

O texto da PGR rebate as alegações dos senadores do PMDB Renan Calheiros, Garibaldi Alves Filho, Romero Jucá e Valdir Raupp; do ex-presidente da República José Sarney; dos administradores da NM Engenharia e da NM Serviços Luiz Maramaldo e Nelson Cortonesi Maramaldo; e do executivo da Odebrecht Ambiental Fernando Reis. 

O ex-presidente da Transpetro, Sérgio Machado, pivô do esquema investigado, não fez contestações à denúncia da PGR, justificando que o fará durante o interrogatório judicial, além de reafirmar “integralmente as declarações prestadas até o momento e o seu compromisso de cooperar com as investigações em curso”.

Entre todas as alegações feitas pela defesa dos acusados, Raquel Dodge aceitou apenas a argumentação dos executivos Luiz e Nelson Maramaldo, os quais afirmaram que a denúncia os responsabilizavam por oito atos de corrupção ativa, quando a acusação “relaciona sete repasses indevidos de verbas a diretórios políticos, por meio de doação oficial”, diz o texto.

Repasses de verba

De acordo com a denúncia houve repasse de verbas para o então PMDB (hoje MDB) a diretórios do partido, pela NM Engenharia e pela Odebrecht Ambiental (braço do grupo Odebrecht que administra concessões na área de saneamento), com a contrapartida de que essas empresas fossem privilegiadas em contratos com a Transpetro.

Ao longo de 80 itens, Dodge rebate as alegações dos denunciados e expõe a fundamentação para as denúncias e a manutenção do inquérito frente ao STF. A PGR rechaça as alegações da maioria dos investigados de que a denúncia se baseia somente em delações. “Os fatos narrados na denúncia amparam-se em provas independentes, obtidas durante a investigação, aptas a confirmar as declarações dos colaboradores. Há, pois, justa causa para deflagrar a ação penal”, assevera na réplica.

O documento também repele a argumentação de diversos envolvidos para que a denúncia seja rejeitada pela Suprema Corte. “Denúncia genérica e inconsistente é a que não permite a compreensão dos fatos imputados aos acusados, cerceando-lhes a possibilidade de defesa. Entretanto, pela leitura da peça apresentada, é possível compreender com clareza os fatos narrados”, afirma Dodge.

Astro ainda acredita em "zebra" na eleição da Câmara


Considerado um bom articulador político, o presidente da Câmara Municipal de São Luís, Astro de Ogum (PR), promete para a sessão desta terça-feira, 17, se manifestar na tribuna sobre o imbróglio que envolve a eleição para a escolha dos novos membros da Mesa Diretora da Casa.

Até o momento, a disputa interna ocorre entre o próprio atual presidente e o primeiro vice-presidente do Legislativo, Osmar Gomes (PDT). A eleição, que estava marcada para ocorrer no domingo, 15, com base em uma decisão judicial, foi suspensa por outra decisão liminar do presidente do Tribunal de Justiça do Maranhão, desembargador José Joaquim Figueiredo dos Anjos.

Na segunda-feira, 16, o desembargador Jamil Gedeon cassou a liminar do presidente do TJ, por entender que tal decisão judicial, de enorme gravidade, não poderia ter sido dada em plantão judicial do fim de semana.

Apesar do impasse, Astro ressalta que mesmo diante das enormes dificuldades, a eleição na Câmara ainda pode ter surpresas e que ainda acredita que uma "zebra" possa acontecer, considerando que as articulações políticas junto a seus pares continuam intensas.

Osmar Filho aguarda um desfecho para o caso, confiante de ter a maioria de seus pares no parlamento municipal, para garantir a vitória.

Uma nova data para o pleito deve ser marcada para as próximas horas.

segunda-feira, 16 de abril de 2018

"Ainda não sei se serei vice de Osmar", diz Astro


O presidente da Câmara Municipal de São Luís, vereador Astro de Ogum (PR), negou, com exclusividade ao programa Câmara em Destaque (Rádio Difusora AM-680 khz), que haja alguma tratativa final para que venha a compor chapa a vice, a ser encabeçada pelo vereador Osmar Filho (PDT), que hoje responde pela primeira vice-presidência da Mesa Diretora da Casa.

"Ainda não estou sabendo se serei vice do Osmar. Devo fazer um pronunciamento na tribuna, amanhã (terça-feira,17)". 

Até o momento, a eleição para a escolha dos novos membros da Mesa Diretora do Legislativo encontra-se sub-júdice.

Ainda não há uma data definida para que a disputa interna na Câmara aconteça.