publicidade

publicidade

sábado, 19 de abril de 2014

Paulinha Lobão quer disputar vaga ao Senado

Apresentadora Paulinha Lobão
Com a decisão do senador Edison Lobão Filho (PMDB) de entrar na disputa para o governo do estado, já especula-se até mesmo a possibilidade da esposa do pré-candidato, Paulinha Lobão (PMDB), em vir a entra na corrida por uma vaga ao Senado.

O assunto começa a ganhar contornos expressivos junto ao eleitorado feminino. Apesar disso, a cúpula do PMDB ainda não manifestou posicionamento sobre o assunto, que começa a aparecer em blogs e em conversas de bastidores.

Inclusive já teria ocorrido uma reunião nas hostes da família Lobão para avaliar tamanha viabilidade, ainda que remota.

Com a entrada do nome da apresentadora Paulinha Lobão na "bolsa de valores" dos candidatáveis, sobe para quatro os eventuais nomes, já que também estão na disputa os deputados federais Pedro Fernandes (PTB), Gastão Vieira (PMDB) e o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Arnaldo Melo (PMDB).

Lobão Filho já consolidou candidatura na classe política, diz Gastão Vieira

Deputado federal Gastão Vieira
De O Estado

O deputado federal Gastão Vieira, pré-candidato do PMDB ao Senado, comentou ontem em entrevista a O Estado o desempenho do colega de partido, senador Edison Lobão Filho, na disputa pelo Governo do Estado.

O também peemedebista está há duas semanas trabalhando sua pré-candidatura para a sucessão da governadora Roseana Sarney (PMDB), desde que o ex-secretário de Estado de Infraestrutura, Luis Fernando Silva (PMDB), desistiu de concorrer o cargo.

Para Vieira, Lobão Filho tem-se movimentado bem desde que foi escolhido pelo grupo político comandado pela governadora como pré-candidato e conclui o que ele considera o “primeiro ciclo” da pré-campanha de forma acertada, com uma “importante reunião” de lideranças, marcada para a quarta-feira da semana que vem, dia 23.

“O senador Lobão Filho movimentou a cena política. Em duas semanas, ele conseguiu deixar toda a classe política ligada ao nosso grupo verdadeiramente animada com essa nova perspectiva”, disse.

O deputado federal acredita que o novo pré-candidato conseguiu reacender entre os aliados o ânimo para a disputa. “Com essa movimentação intensa, com essa busca por apoio, ele conseguiu criar ânimo para a disputa dentro do grupo”, avaliou.

Gastão Vieira entende, contudo, que essa é apenas a primeira missão do pré-candidato. Na opinião dele, depois de garantir o engajamento da classe política, será a hora de consolidar o ânimo dos líderes e transformá-lo em apoio popular.

quinta-feira, 17 de abril de 2014

Gastão Vieira quer apressar decisão para o Senado

Deputado federal Gastão Vieira
O deputado federal Gastão Vieira (PMDB) já declarou publicamente que não abre mão de disputar uma vaga para o Senado, nas eleições de outubro deste ano. Em recente entrevista ao jornal O Estado do Maranhão, o parlamentar afirmou que não procedem as informações de bastidores dando conta que ele havia abdicado de disputar o pleito para o Senado.

O problema maior é que Gastão Vieira terá de enfrentar a disposição também do presidente da Assembleia Legislativa, deputado Arnaldo Melo (PMDB) na corrida pela única vaga a ser aberta com a saída do senador Epitácio Cafeteira (PTB), que este ano  completa seu mandato no Congresso Nacional.

Apesar disso, Gastão Vieira tem se mostrado reticente e destemido a pleitear a vaga. "Continuo pré-candidato a senador. Nunca disse a ninguém que desistiria. Estou trabalhando e aguardando um posicionamento oficial do grupo (Sarney) sobre o apoio político que terei para essa jornada", ressaltou.

Apesar de líder em pesquisa, Dilma tem popularidade em queda

Presidente Dilma Roussef
Do congresso em foco

A presidenta Dilma Rousseff (PT) vai ter de lidar, na campanha eleitoral, com a insatisfação do eleitores em relação ao seu desempenho no governo federal. É o que indica pesquisa Vox Populi/ CartaCapital divulgada nesta quinta-feira (17). Ela lidera a corrida para a reeleição, com 40% das intenções de voto.

Conforme o levantamento, realizado entre os dias 6 e 8 de abril, a petista tem uma avaliação positiva de 32% (ótimo para 5% e boa para 28%) e negativa para 28% (ruim para 16% e péssimo para 11%). As informações foram divulgadas pelo site da revista CartaCapital.

Como a margem de erro é de 2,1 pontos percentuais, para mais ou para menos, é possível apontar, segundo o instituto, um empate entre os dois tipos de eleitores. Outros 29% consideram o desempenho da presidenta apenas regular. A aprovação da presidenta oscilou, assim, dois pontos para baixo em relação à pesquisa de fevereiro.

No início de junho de 2013, quando surgiram as primeiras manifestações de rua pelo Brasil, o instituto mostrou que a presidenta era bem avaliada por 52% dos eleitores. O índice caiu para 34% oito meses depois e, agora, para 32%.

O Vox Populi ouviu 2.200 eleitores em 161 municípios. A margem de erro é de 2,1 pontos percentuais, para mais ou para menos.

A pesquisa aponta que a avaliação positiva da presidenta é maior entre eleitores do Nordeste (43%), maduros (40%), que estudaram até o ensino fundamental (40%) e com renda inferior a dois salários mínimos (40%).  E a avaliação negativa é maior entre quem mora no Sudeste (35%), é jovem ou adulto (29%), tem ensino superior (44%) e ganha mais de cinco salários mínimos (42%).

Governo federal

Ainda de acordo com o levantamento, a avaliação do governo federal é positiva para 30% dos entrevistados (ótimo para 4% e bom para 26%) e negativo para 26% (ruim para 15% e péssimo para 11%). Para outros 43%, o desempenho é apenas regular (regular positivo para 26% e regular negativo para 17%).

O nível de satisfação é maior entre a população do Nordeste (38% de avaliação positiva), entre a população idosa (36%), que estudou até o ensino fundamental (37%) e com renda de até dois salários mínimos (37%). A insatisfação se concentra entre eleitores do Sudeste (32%), adultos (27%), com ensino superior (40%) e renda superior a cinco salários mínimos (38%).

Satisfeitos com o Brasil

A pesquisa mostrou que 54% dos brasileiros estão “satisfeitos” em relação ao Brasil, praticamente o mesmo índice registrado em fevereiro (55%). Mas o número de insatisfeitos cresceu três pontos percentuais em dois meses e chegou a 46%, dos quais 9% se dizem “muito insatisfeitos”. A margem de erro também é de 2,1 pontos percentuais, para mais ou para menos.

O índice de satisfação, segundo o levantamento, é maior entre os homens (57%), maduros (61%), que estudaram até o ensino fundamental (61%), com renda familiar inferior a dois salários mínimos (59%) e moradores do Nordeste (64%).

Os insatisfeitos são, em sua maioria, mulheres (49%), jovens (48%), com ensino superior (56%) e com renda familiar superior a cinco salários mínimos (55%). Concentram-se, principalmente, no Sudeste (57%).

Caema realizará concurso público para provimento de 1.325 vagas

A Companhia de Água e Saneamento Ambiental do Maranhão (Caema) anunciou que promoverá, no dia 15 de junho deste ano, concurso público - que será organizado pelo Instituto Brasileiro de Educação e Gestão (Ibeg) - para provimento de 1.325 vagas em níveis fundamental, médio e superior. Deste total, 176 para preenchimento imediato e 1.149 para cadastro de reserva.

Ainda segundo a direção da Caema, os salários ofertados, dependendo do nível do cargo (fundamental, médio, técnico e superior), variam entre R$ 724,00 a R$ 2.649,58 em jornadas de 44 horas semanais. Os valores das inscrições, que já estão abertas e poderão acontecer até o dia 7 de maio deste ano, custam entre R$ 45,00 e R$ 80,00. O candidato que necessitar de condições especiais, excluindo-se o atendimento domiciliar e hospitalar, deverá preencher o Requerimento de Condições Especiais para realização das provas e enviar no endereço eletrônico nico www.ibeg.org.br ou www.ibegconcursos.com.br até o dia 8 de maio deste ano.

As provas, que serão aplicadas em nove municípios maranhenses e cujos candidatos concorrerem às vagas de nível fundamental terão 30 questões (Língua Portuguesa e Matemática). Já as provas de níveis Médio (Língua Portuguesa, Matemática e Informática) e Técnico (Língua Portuguesa, Matemática, Informática e Conhecimentos Específicos) terão 40 questões. Por fim, as provas de Nível Superior (Língua Portuguesa, Matemática, Informática e Conhecimentos Específicos) exigirão ainda dos candidatos a elaboração de uma redação, em tema a ser proposto.

quarta-feira, 16 de abril de 2014

Virando as costas

Flávio Fino vira as costas para a presidente Dilma
Estado Maior

Era só uma questão de tempo para acontecer o que está acontecendo, o pré-candidato comunista Flávio Dino confirmou a tendência que vinha sinalizando desde articulada sua pré-candidatura ainda como presidente da Embratur, se aliar aos adversários da presidente Dilma Rousseff (PT), que nomeou e o manteve no cargo por mais de três anos.

Primeiro foi o namoro com o PPS da deputada Eliziane Gama, que no plano nacional e sob o comando do deputado federal Roberto Freire, é adversário implacável e virulento do governo da presidente Dilma, fazendo dobradinha com os tucanos.

Depois Dino partiu para tentar costurar uma aliança com o PS num plano mais largo. Ele conversou com o então governador de Pernambuco, Eduardo Campos, com quem discutiu a possibilidade de uma aliança no Maranhão. 

o primeiro momento, Campos teria feito o contrapeso, tudo bem, desde que declare apoio a candidatura presidencial dele. O PSB vai se aliar ao PCdoB, tendo como candidato a senador o vice-prefeito de São Luís, Roberto Rocha, que, ao lado de Dino, pedirá votos para Eduardo Campos e Marina Silva.

E a marcha de Flávio Dino para abandonar a presidente Dilma Rousseff chegou a seu ponto máximo ontem, quando ele se reuniu com o senador mineiro Aécio Neves (PSDB), candidato assumido a presidente da República. 

Disposto a fazer qualquer coisa por uma aliança com o PSDB, Flávio Dino está disposto também a pedir votos para Aécio Neves. Como se vê, o comunista que se diz cristão abraça os adversários daquele que o manteve no melhor emprego do Brasil por mais de três anos.

Roseana diz que declaração de Lula valoriza candidatura de Lobão Filho

Governadora Roseana Sarney
A governadora Roseana Sarney (PMDB) foi enfática ao afirmar que o encontro do senador Lobão Filho (PMDB) com o ex-presidente Lula foi bastante proveitoso. Ela disse ter sido muito importante a conversa, ainda mais por ter o ex-presidente da República declarado apoio ao pré-candidato ao Governo do Maranhão.

"Foi muito importante esse apoio do ex-presidente Lula, pois a aliança do PT com o PMDB não é uma aliança maranhense, mas sobretudo, uma aliança em caráter nacional e deve ser mantida", afirmou a governadora Roseana Sarney.

Ela destacou que a pré-candidatura do senador Lobão Filho ganha um peso muito maior com o apoio do ex-presidente Lula, que é uma referência nacional dentro do PT. "O Lula é uma pessoa muito querida em todo o Brasil, porque é uma pessoa que fez o melhor para o nosso país", ressaltou a governadora. 

terça-feira, 15 de abril de 2014

A repercussão da violência em Pedrinhas

Deputada Eliziane Gama quer discutir o assunto
A problemática da segurança pública e a crise no sistema penitenciário do Complexo de Pedrinhas voltou a ser destaque hoje na Assembleia Legislativa. A deputada estadual Eliziane Gama (PPS) voltou a pedir solução para o problema.  Ela alertou para a repercussão da violência que ocorre dentro do sistema carcerário do Maranhão.

Eliziane Gama lamentou a quantidade de mortes no sistema prisional do estado, que segundo informações recebidas pela parlamentar já chega até agora a 10 mortes. Para a parlamentar, se medidas sérias não forem tomadas, os atos de violência continuarão atingindo a sociedade, como os atentados a ônibus que ocorreram em janeiro, onde pessoas foram queimadas vivas.

“Em menos de três dias chegamos a três mortes no sistema prisional. Portanto, dez mortes no Maranhão, e sete só aqui na Penitenciária de Pedrinhas. O problema é gravíssimo, e se não é resolvido, temos uma repercussão para fora, para a sociedade, deixando inclusive a população numa situação de instabilidade”, alertou a deputada Eliziane Gama.

Com informações da Assembleia Legislativa