Comercial da Prefeitura de SL

Comercial da Prefeitura de SL

segunda-feira, 31 de julho de 2017

Bolsonaro diz deixar o PSC por culpa do governador Flávio Dino


O deputado federal Jair Bolsonaro (foto), pré-candidato à Presidência da República, em 2018, disse que está deixando o PSC por não concordar com a aliança de seu partido com o governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), em 2016. Em entrevista à Folha de S.Paulo, Bolsonaro disse ter ficado "decepcionado" com a aliança espúria mantida entre o PSC e os comunistas de plantão.

A saída de Bolsonaro do PSC já era dada como certa desde 2017, e o candidatável a presidente do Brasil deve mesmo desembarcar de mala e cuia no Partido Ecológico Nacional (PEN).

Bolsonaro aguarda apenas a abertura da janela partidária que deve ocorrer em março do próximo ano para confirmar sua desfiliação do PSC.

Sarney Filho pode deixar ministério e voltar à Câmara


O ministro de Meio Ambiente, Sarney Filho (PV), pode retornar, temporariamente, nesta quarta-feira, 2, ao mandato de deputado federal para apenas validar seu voto na bancada maranhense contra a denúncia de corrupção passiva que pesa na Casa em desfavor do presidente da República, Michel Temer (PMDB). 

Assim como os demais ministros de governo que possuem mandato eletivo na Câmara dos Deputados, Sarney Filho pode vir a ser escalado por Temer para reforçar a sua base de apoio contrária à denúncia do procurador geral da República, Rodrigo Janot, que paira nas hostes do Legislativo e que deve ter um desfecho no decorrer desta semana, com a volta aos trabalhos pós-recesso parlamentar.

As acusações do Ministério Público Federal (MPF) contra Temer têm como base a delação premiada dos executivos da J&F, controladora da JBS. Por se tratar do presidente da República, o Supremo Tribunal Federal (STF) só poderá analisar a denúncia se receber autorização da Câmara.

Portanto, caberá aos deputados, no plenário da Casa, a palavra final sobre autorizar ou não a continuidade do processo no Poder Judiciário. Para que a denúncia contra Temer seja autorizada, ao menos 342 deputados terão que votar contra o parecer aprovado na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), do relator Paulo Abi-Ackel (PSDB-MG), que recomenda a rejeição da denúncia.

Maioria da bancada maranhense irá repudiar denúncia contra Temer na Câmara


De um universo de 18 deputados, que compõem a bancada maranhense na Câmara Federal, apenas cinco parlamentares devem votar favoráveis ao recebimento da denúncia de corrupção passiva, apresentada pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, contra o presidente Michel Temer (PMDB). A votação está prevista para acontecer na próxima quarta-feira, 2, no plenário da Casa.

Até o momento, apenas os deputados Rubens Pereira Junior (PCdoB), Zé Carlos (PT), Eliziane Gama (PPS), Luana Costa (PSB) e Weverton Rocha (PDT) já se posicionaram a favor do recebimento da denúncia contra Temer. Os demais parlamentares da bancada ainda não se definiram sobre a situação. Uma boa parcela prefere aguardar decisões de seus partidos políticos para apresentar seus votos. Outros, colocam-se na posição de indefinidos.

O governo do presidente Michel Temer acredita já dispor de de 260 a 280 votos pelo arquivamento da denúncia na Câmara Federal. O quantitativo necessário é de 172 votos para barrar o acolhimento da denúncia da Procuradoria Geral da República (PGR).

Deputados da bancada maranhense contra a denúncia da PGR:

Hildo Rocha (PMDB)
Aluisio Mendes (Podemos)
Cleber Verde (PRB)
João Marcelo Souza (PMDB)
José Reinaldo Tavares (PSB)
Junior Marreca (PEN)
Juscelino Filho (DEM)
Pedro Fernandes (PTB)
Victor Mendes (PSD)
Waldir Maranhão (PP)
André Fufuca (PP)
Alberto Filho (PMDB)

domingo, 30 de julho de 2017

Agenda de ministro da saúde no Maranhão não contempla governador do PCdoB


A agenda de desembarque do ministro da Saúde, Ricardo Barros (foto), nesta segunda-feira, 31, em São Luís, não inclui nenhuma visita de cortesia ao governador Flávio Dino (PCdoB). Logo às 7h30, está agendada uma  ida do gestor ao Hospital Aldenora Bello, no bairro do Monte Castelo, considerada unidade de referência no tratamento do câncer no Maranhão.

Já às 9 horas, o ministro deve se reunir com prefeitos e integrantes da área da saúde, no auditório da Federação das Indústrias do Estado do Maranhão (FIEMA), no bairro da Cohama.

A expectativa é de que o ministro deve se encontrar com a ex-governadora Roseana Sarney (PMDB) para tratar de assuntos pertinentes ao setor no estado.

sábado, 29 de julho de 2017

Marqueteiro de Edinho Lobão tenta salvar Temer do procurador Janot


O marqueteiro Elsinho Mouco (foto), que dirigiu a campanha eleitoral do suplente de senador e empresário Edinho Lobão (PMDB), em 2014, está envolvido em ações de enfrentamento ao procurador-geral da República, Rodrigo Janot, contra o presidente da República Michel Temer (PMDB). Na oportunidade, o então candidato ao governo do Maranhão perdeu a eleição para o atual governador Flávio Dino (PCdoB).

O marqueteiro já esteve em conversa com o chefe da União para discutir estratégias de enfrentamento a Janot, faltando apenas alguns dias para apreciação e votação da matéria no plenário da Câmara Federal, previsto para o dia 2 de agosto.

Elsinho Mouco tem dado provas à imprensa que a linha do discurso do Palácio do Planalto será cobrar provas do procurador Rodrigo Janot, que acusa o presidente Michel Temer do crime de corrupção passiva. O marqueteiro chama a peça do Ministério Público Federal (MPF) de peça de ficção.

"Vamos para o enfrentamento. Mas o tom está definitivo: vamos perguntar sobre as provas, vamos questionar (Rodrigo) Janot", disparou o marqueteiro Elsinho Mouco.

sexta-feira, 28 de julho de 2017

Marcial Lima irá lançar fórum de discussão nos bairros de São Luís


O vereador Marcial Lima (PEN) irá lançar no dia 19 de agosto a primeira reunião do fórum permanente de discussão sobre os bairros de São Luís. Segundo o parlamentar, os moradores dessas localidades precisam ser ouvidos. "Está passando da hora de haver um grande debate sobre os principais núcleos habitacionais da capital maranhense", declarou.

Marcial Lima disse que os problemas são muitos e a participação popular é fundamental nessa hora. "O fórum quer ouvir você e tentar encontrar com as autoridades e o povo, uma saída para melhorar os setores de infraestrutura, educação e saúde, mobilidade urbana, segurança, turismo, cultura, esporte e tantas outras solicitações feitas pelas pessoas que aqui vivem", frisou.

Ele acrescentou que nesta primeira etapa do fórum será discutido o projeto de revitalização do canal do Turu, com a participação direta de moradores, empresários, gestores e pessoas que têm vínculo com essas regiões de São Luís. 

"Essa corrente de diversos segmentos dos bairros, por meio de um fórum permanente, mostra a força e a unidade da população que defende como prioridade a urbanização já", enfatizou Marcial Lima.

Sarney deve acompanhar de perto análise da denúncia contra Temer na Câmara


O ex-presidente da República e ex-senador José Sarney (PMDB) deve ser um dos interlocutores na Câmara Federal, em Brasília, que deve analisar nesta próxima semana a denúncia contra o presidente Michel Temer (PMDB) por corrupção passiva. A denúncia foi apresentada pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, e será apreciada pelos deputados em votação aberta, nominal e transmitida ao vivo pelos canais de comunicação.

Nos últimos dias o ex-presidente Sarney tem participado de eventos ao lado do presidente Michel Temer, como foi o caso da solenidade de posse do novo ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão, no Palácio do Planalto. Há quem especule que Sarney tem dado todo suporte como conselheiro-mor do PMDB, mantendo conversas com membros do partido e até mesmo aconselhando outros parlamentares a não aceitar a denúncia contra Temer.

Sarney também vem mantendo conversas com membros da bancada federal do Maranhão para que os parlamentares possam votar em massa contra as denúncias que pairam na Câmara contra o presidente, sob justificativa de que o estado pode vir a ser prejudicado em várias áreas.

quarta-feira, 26 de julho de 2017

Oposição ao prefeito na Câmara pode ganhar forças que lotariam um ônibus


A troca no comando da Saúde no município de São Luís deve crescer a base de oposição ao prefeito Edivaldo Holanda Junior (PDT/foto), nas hostes da Câmara de Vereadores. Reeleito com o apoio da maioria no Legislativo para mais um mandato de quatro anos, a gestão do chefe do Executivo passou por várias insurgências de aliados ao longo do primeiro semestre deste ano e ao que tudo indica, iniciará o segundo semestre com a possibilidade de aumentar ainda mais o grau de insatisfação em sua base de apoio.

A dramática exoneração da então secretária municipal de Saúde, a médica Helena Duailibe, deve acirrar os ânimos já a partir do dia 1º de agosto, quando os vereadores retomam os trabalhos na Câmara, após o recesso, momento em que os discursos inflamados devem se voltar para o mais recente fato político na capital maranhense.

Não poderia ser diferente já que o vereador Afonso Manoel (PRP), esposo da demissionária Helena Duailibe, dá mostra clara de que não ficou nada satisfeito com a atitude intempestiva do prefeito Edivaldo. Até antes das férias na Câmara, o parlamentar era um dos ferrenhos defensores do gestor municipal, tendo inclusive trocado farpas com o colega de parlamento, Marcial Lima (PEN), por conta do edil ter criticado a gestão na Saúde e por conta do município ter cortado cerca de R$ 2 milhões da pasta, ampliando a crise no setor.

A médica Helena Duailibe e o vereador Afonso Manoel
No entanto, Afonso Manoel deve engrossar o coro oposicionista na Casa ao lado de vereadores como Francisco Chaguinhas (PP), Estevão Aragão (PSB), Professor Sá Marques (PHS), Cézar Bombeiro (PSD) e outros que têm se mostrado insatisfeitos com a política isolacionista adotada pelo prefeito Edivaldo.

O vereador Afonso Manoel parece não engolir mesmo a forma depreciável como sua esposa foi demitida, pelas redes sociais, depois de ter prestado relevantes serviços à pasta, ter sido nas eleições de 2016, o esteio na campanha à reeleição do gestor pedetista e de ter segurado a barra da gestão municipal desde 2014, quando ninguém mais acreditava na reviravolta da administração na capital maranhense.

Para Afonso Manoel, o preço foi alto demais e a contrapartida foi a humilhante exoneração da então titular da Semus. "Os amigos são testemunhas do passado e eles são nossos espelhos, que através deles, podemos nos olhar", destacou o parlamentar ainda ressentido com a atitude imposta contra sua companheira de todas as horas.

terça-feira, 25 de julho de 2017

Helena perdeu a saúde para uma imposição superior dos Leões


Pessoas ligadas à ex-secretária municipal de Saúde, Helena Duailibe (foto), admitem que até agora ela ainda não conseguiu digerir a drástica exoneração do cargo anunciada na última segunda-feira, 24, pelo prefeito de São Luís, Edivaldo Holanda Júnior (PDT). Para o seu lugar foi guinchada a figura do ex-secretário municipal de Governo, o empresário Lula Filho, envolvido num suposto esquema de baixas indevidas de débitos tributários na Secretaria Municipal de Fazenda (Semfaz).

Pelas redes sociais, a única justificativa que vem sendo imputada ao prefeito Edivaldo é a de que o gestor teria pedido desculpas à secretária-demissionária Helena Duailibe, mas que ao mesmo tempo, teria recebido ordens de uma "imposição superior".

Mas uma pergunta que não quer calar: Se Edivaldo é o prefeito da capital maranhense, chefe do Executivo Municipal, então qual ordem superior seria maior que a sua no município de São Luís? Há quem aposte que a ordem maior teria partido do rugido do Palácio dos Leões, na pessoa do governador Flávio Dino (PCdoB).

Portanto, se Edivaldo foi reeleito pelo povo da capital para ser o gestor municipal, o que falta a ele para dar um murro na mesa e administrar essa cidade para o bem da população?

Ou será que a tal parceria institucional entre Governo do Estado e Prefeitura de São Luís envolve também o aporte gerencial do município, onde um governador pode até interferir na entrada ou saída de um determinado secretário? Só falta o governador colocar no lugar de Edivaldo o vice-prefeito comunista Júlio Pinheiro. 

Eu me recuso e não quero acreditar nessa hipótese.

Da suposta "Máfia da Semfaz" para o trono da saúde municipal

O empresário Lula Filho deixou a secretaria municipal de Governo para assumir a Secretaria Municipal de Saúde
Ainda não estão bem explicados os reais motivos que levaram o prefeito de São Luís, Edivaldo Holanda Júnior (PDT), a demitir sumariamente, na última segunda-feira, 24, a então secretária municipal de Saúde, Helena Duailibe, do cargo ao qual vinha ocupando desde fevereiro de 2014. Na época, quando foi convidada a assumir a função, ela estava na condição de vereadora da capital e substituiu o ex-secretário César Félix, que nem bem esquentou a cadeira da pasta, passando apenas sete meses no cargo.

Considerada uma pessoa bastante equilibrada, carismática e conhecedora da área da saúde, a médica Helena Duailibe ganhou notoriedade no setor por ter sido secretária estadual na gestão do ex-governador José Reinaldo Tavares e depois ter sido titular da pasta na administração do saudoso prefeito João Castelo (PSDB), tendo também sido eleita vice-prefeita de São Luís.

No entanto, nenhum desses requisitos básicos teria sido o suficiente para que o prefeito reeleito Edivaldo Holanda Júnior pensasse duas vezes antes de exonerar, de forma drástica, a médica Helena Duailibe (foto), trocando-a pelo simples mortal e empresário Lula Filho, que nada entende de gestão na área da saúde. O que leva a crer que o que estava pior, pode piorar ainda mais.

O problema maior é que esse mesmo Lula Filho, até o mês passado, virou manchetes em blogs e noticiários na imprensa local sobre suposto envolvimento com uma apelidada "Máfia da Semfaz". O então secretário municipal de Governo passou a ser acusado de ter tido débitos tributários "baixados indevidamente" do sistema informatizado da Secretaria Municipal de Fazenda (Semfaz), em benefício próprio.

Seriam débitos fiscais referentes ao período de janeiro de 2012 a maio de 2017, relativo às empresas de propriedade do próprio secretário Lula Filho: a Sucesso Assessoria e Marketing Esportivo e o Instituto de Desenvolvimento Profissional e Pessoal- ME. A primeira empresa possuía débitos que variavam entre R$ 1,5 mil à R$ 1,9 mil. Enquanto os débitos da segunda empresa eram entre R$ 8,3 mil à R$ 9,5 mil.

O caso explodiu como uma bomba no âmbito da Câmara Municipal de São Luís e levou parlamentares, tanto da base quanto de oposição ao prefeito, a pedirem até a instalação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar as denúncias contra o secretário Lula Filho, considerado o homem-forte do prefeito Edivaldo.

Eis que mesmo nesse ambiente atípico, com toda essa bomba pairando sobre a cabeça do empresário Lula Filho, o mesmo acabou sendo premiado com o novo cargo de secretário municipal de Saúde, função que deixa dúvidas sobre a sua potencialidade para tamanha pasta que vive o caos financeiro e estrutural e que vinha sendo carregado nas costas pela secretária-demissionária.

No entanto, a então titular Helena Duailibe não servia mais e a troca seria inevitável. Nos bastidores corre a notícia de que o prazo de validade dela teria vencido, por ela não ter contido a sangria que originou o corte de R$ 2 milhões na saúde municipal. Outros atribuem os fatos a questões meramente política, cuja ordem para exoneração teria passado pelo governador Flávio Dino (PCdoB) numa guerra insana contra o ex-secretário de Saúde, Ricardo Murad, por suposta infiltração de pessoas ligadas a Murad na pasta.

Mas ao que tudo indica, uma coisa é certa: a médica Helena Duailibe não teria pedido demissão da pasta, mas sim, sido defenestrada a bel prazer da posse do empresário Lula Filho.

segunda-feira, 24 de julho de 2017

O que há por trás do relatório da PF a favor de Sarney, Renan e Jucá?


Causou surpresa nas hostes políticas e nas rodas de conversas de bastidores o teor do relatório enviado pela Polícia Federal ao Supremo Tribunal Federal (STF), revelando que os senadores do PMDB, Renan Calheiros (AL) e Romero Jucá (RR), líder do governo Temer no Senado, além do ex-presidente José Sarney, não terem cometido obstrução nos trabalhos de investigação da Operação Lava Jato.

Vale ressaltar que todo inquérito foi aberto a pedido do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, com base nas delações do ex-presidente da Transpetro, Sergio Machado. Hoje, o procurador Janot é o inimigo público número 1 do Palácio do Planalto, sede do governo do PMDB. O ministro do STF, Edson Fachin, relator da Lava Jato, autorizou inquérito para apurar os supostos atos de obstrução, mas ainda não há decisão sobre o caso.

Porém, o relatório da PF conclui que não há “elementos indiciários de materialidade do crime”. Em fevereiro, após ser sorteado novo relator da Lava Jato, Fachin determinou a abertura do inquérito com base nas gravações feitas pelo ex-presidente da subsidiária da Petrobras.

As gravações, que ficaram conhecidas pela frase de Jucá falando sobre “estancar a sangria da Lava Jato”, vieram a público no ano passado. Os áudios gravados por Machado faziam parte de seu acordo de colaboração premiada.

À época, Janot pediu não apenas a abertura de inquérito, mas também a prisão dos três peemedebistas ao ministro Teori Zavascki, que era o responsável pelos processos da Lava Jato antes de seu falecimento, em 19 fevereiro, em um acidente de avião. O pedido de prisão foi negado por Zavascki.

Os áudios também levaram à saída de Jucá do comando do Ministério do Planejamento apenas 12 dias após sua nomeação. Um dos principais articuladores do governo Temer, no entanto, Jucá é visto como o verdadeiro comandante da pasta, uma vez que nada é anunciado pelo ministério sem que ele participe das decisões.

Do blog com informações do Congresso em Foco

domingo, 23 de julho de 2017

Partidos de Lula, Dino e Ciro Gomes manifestam apoio a presidente venezuelano


O PT do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o PDT do ex-ministro Ciro Gomes e o PCdoB do governador do Maranhão, Flávio Dino, aparecerem no cenário nacional como protagonistas de intensificar o discurso em defesa do regime chavista do presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, considerado um ditador em seu país.

Atualmente, a Venezuela vive uma forte crise política, que já deixou mais de 100 pessoas mortas desde abril deste ano, segundo informações do Ministério Público da Venezuela.

Enquanto isso, figuras impolutas da política brasileira ainda fazem gracejos em defesa de Maduro, sendo que na quarta-feira passada, 19, o PT e o PCdoB subscreveram, em Manágua, capital da Nicarágua, a resolução final do 23º Enccontro do Foro de São Paulo, organização que reúne diversos partidos de esquerda da América Latina e Caribe.

O texto defende a elaboração de uma nova Constituição na Venezuela, que daria mais poderes para Maduro e exalta as forças revolucionárias na Venezuela.

quinta-feira, 20 de julho de 2017

Vão tentar puxar o tapete de Braide na disputa ao governo


Diz o ditado popular que quem avisa amigo é! Tanto o grupo ligado ao governador Flávio Dino (PCdoB) quanto o grupo aliado à ex-governadora Roseana Sarney (PMDB) ainda vão tentar "puxar o tapete" do deputado estadual Eduardo Braide (PMN/foto), caso o parlamentar cogite a possibilidade de sair candidato ao governo do Maranhão, em 2018.

Isso porque de um lado, a turma de Dino prefere que a eleição fique polarizada com a ex-governadora. O mesmo pensamento vem sendo defendido nas hotes do grupo Sarney. Ambos os nichos vêm tentando conquistar o eleitorado maranhense mirando sempre em um paralelo governamental de quem fez mais ou menos pelo estado. Numa espécie de comparação para alavancar platéia.

Já o nome de Braide, por ainda ser uma referência nova e leve na política, pode vir a decolar no seio do eleitorado, que busca uma alternativa para não votar nem na turma comuna de Dino, nem na velha experiência do grupo de Roseana.

O nome de Braide vem crescendo como alternativa, tanto que em recente pesquisa de intenções de votos do Instituto Perfil, divulgada nesta quarta-feira, 20, o deputado já aparece na frente de Dino com 20,8% das intenções de votos. Flávio Dino (20,3%) e Roseana Sarney (17,4%).

Prefeitura terá de suspender pregão para fornecimento de merenda escolar

A Prefeitura de Santa Rita terá que suspender, em caráter imediato, o Pregão Presencial nº 032/2017, cuja finalidade é a contratação de empresa para fornecimento de gêneros alimentícios para compor o cardápio da merenda escolar das unidades de ensino do município. A solicitação foi feita pela Promotoria de Justiça da Comarca de Santa Rita que no último dia 17, por meio de Ação Civil Pública, com pedido liminar. A manifestação foi proposta pelo promotor de justiça, Tiago Carvalho Rohrr, que está respondendo pela comarca.

O Ministério Público do Maranhão atestou que a referida licitação não se encontra em consonância com a legislação, após receber denúncia formulada por uma empresa, cujo teor apontou que o edital do procedimento licitatório restringe a competitividade, limitando a participação de micro e pequenas empresas. De acordo com o documento, só podem competir as empresas do tipo que estejam sediadas em Santa Rita. O edital do certame foi lançado no dia 6 de julho.

Conforme destacou o promotor de justiça, na ação, o critério de localização geográfica do licitante só é admitido, excepcionalmente, quando tal requisito for indispensável à execução do contrato. “No caso em apreço não se observa qualquer dificuldade quanto à execução do contrato pelo fato de a empresa não ter sua sede em Santa Rita”, afirmou Tiago Carvalho Rohrr.

A representação da empresa questionou também os preços constantes no Termo de Referência, considerados inexequíveis. “Os agentes públicos não podem restringir o caráter competitivo do processo licitatório. O ato convocatório da licitação deve admitir a participação de todos os interessados, devendo vencer aquele que tiver a proposta mais vantajosa”, frisou.

Em caso de descumprimento da suspensão do pregão presencial, a Promotoria de Justiça da Comarca de Santa Rita sugeriu o estabelecimento de multa diária no valor de R$ 10 mil. O MPMA pediu, ainda, a anulação definitiva da licitação.

quarta-feira, 19 de julho de 2017

As movimentações bancárias de Edilázio a Nelma Sarney


O deputado estadual Edilázio Junior (PV) terá de explicar o por quê da movimentação atípica de R$ 6 milhões em uma conta bancária, constatada pelo Conselho de Controle de Atividades Financeiras (COAF). Entre as movimentações feitas pelo nobre parlamentar ecológico eis que aparece o nome da sua sogra, a desembargadora Nelma Sarney, do Tribunal de Justiça do Maranhão.

Segundo informações do Jornal Pequeno, o COAF enviou o relatório de investigação financeira de número 11.581 para o Ministério Público Federal, a Polícia Federal e ao Ministério Público Estadual. O MPF e o MP instauram procedimentos para apurar as diversas ocorrências de movimentações financeiras suspeitas de Edilázio Júnior, entre elas um depósito em dinheiro de R$ 123 mil na conta da sogra e desembargadora Nelma Sarney.

Tanto Nelma Sarney quanto Edilázio Júnior puseram a culpa pelo depósito em Raimunda Célia Moraes, ex-gerente do Bradesco, acusada de agiotagem, estelionato e apropriação indébita contra clientes do banco, e que havia sido gerente da conta dos dois.

Na semana passada, o MP teve negado pela Justiça estadual o pedido de quebra de sigilo bancário da desembargadora. A ação resultou numa crise entre o Ministério Público e a Justiça estadual.

Senadora Gleisi Hoffman irá desembarcar em São Luís no sábado


O presidente do Partido dos Trabalhadores em São Luís, vereador Honorato Fernandes, destacou o desembarque na capital maranhense da presidente nacional do PT, senadora Gleisi Hoffman, previsto para o próximo sábado, 22, onde a dirigente participará da inauguração da nova sede da legenda na cidade, situada na rua dos Jambos, Quadra 70, casa 18, no bairro Renascença.

Honorato informou ainda que a presidente do PT também se reunirá com lideranças petistas pra traçar uma agenda em defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, condenado a 9 anos e 6 meses de prisão, em primeira instância, pelo juiz federal Sérgio Moro.

"A inauguração da nova sede do PT e vinda da senadora Gleisi Hoffman contará com uma vasta programação cultural em defesa do ex-presidente Lula, pelos direitos sociais e contra as reformas do presidente Michel Temer", declarou o vereador Honorato Fernandes.

terça-feira, 18 de julho de 2017

Zé Reinaldo pode ir para o DEM ou PMDB


O deputado federal José Reinaldo Tavares (PSB/foto), que pretende disputar uma cadeira ao Senado, nas eleições gerais de 2018, pode deixar as hostes socialistas para ingressar no DEM ou no PMDB. Tudo vai depender das novas articulações na legenda junto ao presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ) ou ao presidente da República, Michel Temer (PMDB).

É que deputados do PSB estariam sendo cooptados pelo presidente da Câmara para engrossar a bancada da legenda democrata na Casa. Na tentativa de frear uma ação nefasta de Rodrigo Maia, Temer já articula levar os insatisfeitos do PSB para o reduto conservador do PMDB.

É nesse contexto político que se encontra o deputado e ex-governador do Maranhão, Zé Reinaldo. Se depender de seu aliado e afilhado político, o governador Flávio Dino (PCdoB), o parlamentar poderia desembarcar nas hostes do Democratas, já que Dino é adversário do presidente Michel Temer, que tem como consultor e amigo o velho cacique, ex-senador e ex-presidente José Sarney.

segunda-feira, 17 de julho de 2017

Tá explicado! Senadores-empresários maranhenses tinham que votar a favor da reforma trabalhista de Temer


Está mais do que claro por que os senadores da bancada maranhense, João Alberto (PMDB), Edison Lobão (PMDB) e Roberto Rocha (PSB) não podiam mesmo votar contra a proposta da reforma trabalhista do presidente Michel Temer (PMDB), aprovada na semana passada e já sancionada. 

Isso porque os nobres parlamentares compõem um conjunto de 50 senadores-empresários na Casa, que têm participações societárias em corporações diversas, ações ou possuem alguma empresa ou fazenda em seus nomes.

E os representantes do Maranhão não são diferentes dos demais que apoiaram Temer. Os dados constam de levantamento exclusivo do site Congresso em Foco junto aos registros de candidatura de cada um deles junto à Justiça Eleitoral (veja listas e valores dos bens abaixo), referentes às duas eleições passadas (2010 e 2014):

Veja abaixo lista dos senadores-empresários maranhenses


Edison Lobão (PMDB-MA)

Bny Mellon Serviços Financeiros Dtvm S/A Cnpj 02.201.501/0001-61 Ip Value Hedfe Fia – R$200.000,00
Ações Ordinarias Do Banco Do Brasil Adquiridas Na Data 02 De Maio De 2006 Conforme Contrato De Compra E Venda De Ações De Emissão Do Banco Do Braisl S/A (Investidores Não Institucionais) – R$ 315.617,00
Ações16% Destilaria Caiman – R$ 286.643,34
Ações Preferenciais Escrituras Da Empresa Petrolio – R$31.400,03
Bny Mellon Serviços Financeiros Dtvm S/A Cnpj 02.201.501/0001-61 Ip Participações Fia – R$200.000,00


João Alberto Souza (PMDB-MA)

Lote De Terreno Com 9840 Metro Quadrados No Emprendimento Fazendinha Do Paço – R$5.000,00


Roberto Rocha (PSB-MA)

Ações Ordinárias Da Lr Empreendimentos – R$125.899,58
Participação No Capital Social Da Cindel Empreendimentos – R$2.500,00
Ações Ordinárias Da Agropecuária São Luís – R$23.211,72
Participação Na Empresa Rádio E Tefevisão Novo Eldorado – R$1,00
Participação Na Empresa Rádio Vale De Televisão – R$640,00

Ex-juiz da Ficha Limpa diz que Emenda Lula é "cavalo de troia"


O advogado do Rede e ex-juiz Márlon Reis, considerado um dos autores da Lei da Ficha Limpa, vem criticando a postura do deputado federal Vicente Cândido (PT-SP), por ter o parlamentar proposto incluir em seu relatório, na comissão que discute a reforma política na Câmara dos Deputados, a proibição de prisão de candidatos pré-habilitados a disputar eleições até oito meses antes das votações.

Para Márlon Reis, a proposta do parlamentar paulista é "injustificável", semelhante a um "cavalo de troia". Ele até defende a medida de antecipar a habilitação dos candidatos, afirmando que é uma maneira de evitar que a discussão sobre quais têm condições de elegibilidade aconteça apenas após o registro da candidatura. “O problema é dizer que um candidato, a partir daí, não pode mais ser preso”, diz o advogado.

“Na verdade, é um cavalo de troia, porque vem com uma capa de algo que já vinha sendo reivindicado pelo movimento contra a corrupção eleitoral, a antecipação da habilitação, mas isso vem junto com uma outra medida extremamente negativa e injustificável”, afirma.

Do blog com informações do Estadão

domingo, 16 de julho de 2017

Eliziane de olho na candidatura de Marina à presidência


A deputada federal Eliziane Gama (PPS) aposta em uma eventual pré-candidatura de Marina Silva (Rede) à Presidência da República, em 2018, para alavancar sua provável candidatura ao Senado, passando também pelo apoio do governador Flávio Dino (PCdoB).

A tática de Eliziane pode ser confirmada no decorrer desta semana já que, após a condenação do ex-presidente Lula (PT) a 9 anos e 6 meses de prisão, pelo juiz federal Sérgio Moro, Marina Silva chamou líderes do Rede no Congresso, para falar sobre sua candidatura à presidência e montar uma agenda de trabalho na condição de pré-candidata.

Eliziane espera manter conversas com Marina para engrossar o coro de apoio ao Rede, apostando todas as fichas em Marina Silva, o que pode lhe render dividendos futuros no Maranhão.

sexta-feira, 14 de julho de 2017

Waldir Maranhão pode se filiar no PT com apoio de Lula


Mesmo estando o PT nacional na linha de fogo cruzado da justiça, eis que o deputado federal Waldir Maranhão (PP) persegue a ideia de se filiar nas hostes petistas, alegando que já teria recebido até o convite do ex-presidente Lula, recém-condenado pelo juiz federal Sérgio Moro a 9 anos e 6 meses de prisão, por corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

Vale lembrar que durante o processo de impeachment da então presidente Dilma Rousseff (PT), Waldir Maranhão, sob supostas ordens do aliado governador Flávio Dino (PCdoB), protagonizou a maior trapalhada na Câmara dos Deputados, ao tentar derrubar o processo contra o afastamento da presidente petista, fato que acabou manchando ainda mais a imagem desgastada do parlamentar maranhense no cenário político.

Agora, Waldir mandou a fatura para Lula e espera receber em troca todo apoio do ex-presidente e do governador Dino na sua clara intenção de vencer as eleições a uma das duas vagas ao Senado, em 2018, pelo Maranhão.

Durma com um barulho desses! 

Desembargador maranhense diz que não havia justificativa para manter Gedel na cadeia


Causou surpresa e estarrecimento a decisão tomada pelo desembargador maranhense Ney Bello (foto), do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1), que autorizou o ex-ministro Geddel Vieira Lima a deixar o Complexo Penitenciário da Papuda, em Brasília, para cumprir prisão domiciliar. 

Além da prisão domiciliar, o desembargador determinou que Geddel não pode ter contato com outros investigados e deverá utilizar tornozeleira eletrônica ao deixar a Papuda.

"Não há justificativa plausível para a prisão preventiva em cárcere e a demora na decisão acarreta limitação irreversível à liberdade do paciente [Geddel] porque não há justificativa no direito positivo para mantê-lo encarcerado."

Considerado um dos políticos mais próximos ao presidente Michel Temer, Geddel foi preso preventivamente pela Polícia Federal (PF) no início do mês, em Salvador, por suspeita de obstrução da Justiça. Dois dias após a detenção, o ex-ministro da Secretaria de Governo (articulação política) foi transferido para o Distrito Federal.

Geddel foi preso por suspeita de atrapalhar as investigações da Operação Cui Bono, que apura supostas fraudes na liberação de crédito da Caixa Econômica Federal.

A investigação se concentra no período em que Geddel ocupou o cargo de vice-presidente da Caixa. À época, ele assumiu o cargo na cúpula do banco público por indicação do PMDB, que era sócio do PT no governo federal.

A apuração do envolvimento de Geddel com as irregularidades cometidas na Caixa foi motivada por mensagens de texto registradas em um aparelho de telefone celular apreendido na casa do então deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que está preso em Curitiba pela Operação Lava Jato.

Do blog com informações do G1

quinta-feira, 13 de julho de 2017

Vereador do PT critica condenação de Lula nas redes sociais


O líder do PT na Câmara Municipal de São Luís, vereador Honorato Fernandes (foto), usou sua página no Facebook, para prestar solidariedade ao ex-presidente Lula, condenado pelo juiz federal Sérgio Moro a 9 anos e 6 meses de prisão, sob acusação de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

"A sentença de condenação de Lula a 9 anos de prisão é algo ridículo e injusto. Além disso , representa um problema para toda sociedade que acredita na democracia e verifica nesse ato de um falso justiceiro a tentativa de consolidar o estado de exceção no nosso país. Quem condena sem provas e tem o dever de efetivar a justiça é mais criminoso que qualquer assalte de banco", declarou Honorato Fernandes.

O vereador ainda disparou três Hashtags na postagem:

# A verdade vencerá a mentira 
# A injustiça cairá 
# Estou contigo Presidente

Qual a intenção do governo em privatizar a Caema?


Um questionamento momentâneo que não quer calar: Qual seria mesmo a intenção do governador Flávio Dino (PCdoB) em privatizar a Companhia de Saneamento Ambiental do Maranhão (CAEMA). O pior é que o órgão possui uma enorme dívida patrimonial ainda não revelada. E quem hoje estaria interessado em adquirir e gerenciar um estorvo desses?

Esse mesmo questionamento foi feito na sessão da última quarta-feira, 12, no plenário da Assembleia Legislativa pelo deputado estadual Eduardo Braide (PMN). Na oportunidade, o parlamentar apresentou requerimento à Mesa Diretora da Casa, solicitando detalhes técnicos convincentes ao governo sobre a real intenção de Flávio Dino em privatizar a Caema.

O parlamentar aproveitou ainda para questionar a contratação pelo BNDES, da “prestação de serviços técnicos especializados ao processo de desestatização dos serviços de saneamento básico”, executados no estado, pela Companhia.

“O nosso dever enquanto deputado é descobrir qual a intenção do Governo do Estado sobre a Caema. Se a intenção é privatizar, quem primeiro deveria saber disso, seriam os trabalhadores da Companhia, que acabam ficando na incerteza, apreensivos, com futuro da empresa. E com a contratação de serviços para a consulta e preparação de desestatização da Caema, torna-se necessária uma posição oficial por parte do governo do estado sobre o assunto”, afirmou Eduardo Braide.

O serviço técnico para consulta e preparação de desestatização da Caema é objeto da licitação realizada pelo BNDES, por meio do edital n° 16/2017, já tendo uma empresa vencedora do processo. “O edital do pregão eletrônico Nº 16/2017 do BNDES, no seu item 11.1.1, que trata do pagamento, é claro ao estabelecer que a conclusão de uma das etapas do serviço, só ocorrerá, quando da assinatura do contrato de desestatização decorrente da licitação do projeto. Com isso, a licitação não deixa dúvidas quanto a real intenção de privatizar a Caema”, informou o deputado Eduardo Braide.

A prisão de Lula e os protestos de rua


Movimentos sociais ligados ao Partido dos Trabalhadores, em todo o Brasil, já articulam um farto número de manifestações contrárias à decisão do juiz Sérgio Moro, de Curitiba, determinando em primeira instancia a prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. A questão na pauta é fazer uma série de protestos nas principais capitais e em todas regiões do país.

Após saber da sentença de 9 anos e 6 meses de reclusão, o ex-presidente Lula manteve conversas com aliados, onde deixou bem claro: "Não vou esmorecer". Nos bastidores, o PT não fala ainda em Plano B para as eleições de 2018. A cúpula do partido acredita que a decisão de Moro vai estimular a comparação das ações de Lula com escândalos políticos recentes vividos no país.

quarta-feira, 12 de julho de 2017

Marcial Lima faz balanço dos seis primeiros meses de mandato na Câmara


O líder do PEN na Câmara Municipal de São Luís, vereador Marcial Lima (foto), aproveitou a sessão desta quarta-feira, 12, para fazer uma prestação de contas dos seus primeiros seis meses de mandato eletivo na Casa. Na oportunidade, ele destacou que fazer essa prestação de contas é o seu dever  como homem público.

"Nosso mandato começou com muita humildade. Nossa caminhada até aqui foi do início ao fim em prol da população. Discutimos com as categorias dos taxistas, com os trabalhadores rodoviários, com os moradores dos condomínios Minha Casa, Minha Vida, num claro respeito à moradia, mas com infraestrutura de creches e escolas. Vejo hoje que o governo do estado já está dizendo que pode melhorar esse programa de moradia na capital", declarou.

Marcial Lima disse ainda que esteve discutindo com as comunidades do pólo Sacavém, do Filipinho e de outros bairros. Temos feito uma queixa histórica no aspecto da necessidade de melhoria da nossa malha viária e esse assunto deve ser discutido amplamente não só nesta Câmara Municipal, mas também na Assembleia Legislativa", enfatizou.

Ele destacou que nesse período propôs a discussão da melhoria das praças públicas de São Luís e dos museus da cidade que ficam fechados, em especial nos fins de semana. Um exemplo maior de que é preciso mudar essa realidade é o sucesso protagonizado aos domingos pela feirinha de iniciativa do secretário Ivaldo Rodrigues (Abastecimento) que reúne grande público", enfatizou.

Marcial Lima acrescentou que avançou na discussão da valorização da cultura local, que deve ser descentralizada. "Debatemos sim a questão da cultura de São Luís, que ainda não foi descentralizada neste São João. É preciso que haja a descentralização das nossas brincadeiras. Além disso, debatemos a privatização do nosso São João", pontuou.

O vereador relacionou outros temas em questão que foram abordados como a violência no transporte coletivo, a precariedade na educação do município, cobrando respostas para o setor. Além disso, cobramos da saúde e até fomos mal interpretados nesta Casa quando mencionamos o corte de R$ 2 milhões para o setor", destacou.

Ao final, o parlamentar Lima resumiu que a simplicidade e a humildade dessa luta tem que ser dividida com a população de São Luís. "População esta que acreditou em meu trabalho como vereador da capital. Me elegi com 5.007 votos por todos que aqui moram e adotaram esse município para viver", frisou.

Quanto de emenda cu$tou o voto de Cleber Verde ao presidente Temer?


O troca-troca na base da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara Federal continua a todo vapor. O mais novo entra e sai foi protagonizado na última terça-feira, 11, pelo deputado maranhense Cleber Verde (PRB), que se juntou aos demais 65 membros do colegiado, que avaliam se aceitam ou não a denúncia-crime contra o presidente da República, Michel Temer (PMDB), apresentada pelo procurador-geral Rodrigo Janot.

No entanto, no placar dos parlamentares favoráveis ou não à aceitação da denúncia de corrupção passiva contra o presidente na Casa, o deputado Cleber Verde ainda aparece na condição de indeciso. Ao que tudo indica, o nobre parlamentar, ligado às hostes da Igreja Universal do Reino de Deus (IURD), vai deixar para a última hora a definição sobre o seu voto.

Pelo placar atualizado, 21 deputados já se manifestaram favorável à denúncia, 15 contra e 30 ainda estão indefinidos.

Alguém acreditou que ia ser diferente?


Estava mais do que na cara que a bancada de senadores maranhenses não iria ficar contrária ao projeto de reforma trabalhista, de iniciativa do governo do presidente Michel Temer (PMDB). Tanto João Alberto (PMDB) quanto Edison Lobão (PMDB) e Roberto Rocha (PSB) não deram, sequer, um pio em relação à proposta governista, que alterou mais de 100 pontos da carcomida Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), de 1943, autorizando o trabalho intermitente, dividindo as férias em três períodos, reduzindo o horário de almoço em apenas meia-hora e garantindo que os acordos coletivos, entre patrões e empregados, tenham força de lei.

Conforme críticos, tamanha liberalidade, permitirá inúmeras negociações que reduzirão bastante os direitos trabalhistas. Já os defensores da reforma do governo amenizam o discurso raivoso da oposição, justificando que a proposta atualiza uma legislação envelhecida e protecionista, abrindo novas expectativas no mercado para a geração de mais emprego e renda.

Vale ressaltar que o texto original da reforma trabalhista foi encaminhado no início deste ano ao Congresso Nacional, sendo aprovado pela maioria na Câmara Federal e em seguida, aprovado no Senado. Segue agora para a sanção do presidente Michel Temer antes de ser publicado e entrar em vigor.

As alterações na legislação trabalhista começam a valer quatro meses após publicação no Diário Oficial da União (DOU).

terça-feira, 11 de julho de 2017

Sarney Filho aposta na salvação e quer o apoio de Temer para o Senado em 2018


Mesmo estando todo enrolado em denúncia de corrupção passiva na Lava Jato, a figura do presidente da República, Michel Temer (PMDB), ainda é a vitrine principal para o ministro de Meio Ambiente, Sarney Filho (PV), que pretende viabilizar sua candidatura ao Senado, nas eleições de 2018, no Maranhão. Ao que tudo indica, o ministro ecológico pode vir até a trocar de partido, podendo escolher o ninho tucano do PSDB ou desembarcar no PMDB.

Sarney Filho já bateu o martelo e garantiu que não abre mão em disputar uma das duas vagas ao Senado, no próximo pleito. No entanto, o ministro tem se mantido longe do fogo cruzado que atinge em cheio o presidente Temer, procurando observar os desdobramentos das fortes denúncias que pairam sobre o chefe da Nação, direcionadas pelo Procurador-Geral Rodrigo Janot, que vai fazendo estragos na blindagem do PMDB.

Em pré-campanha anunciada, Sarney Filho, continua percorrendo os municípios maranhenses na certeza de se cacifar e galgar uma nova projeção política no estado.

Juscelino ainda sonha com Rodrigo Maia no lugar de Temer


O deputado federal da bancada maranhense, Juscelino Filho (DEM/foto), continua entre os 36 parlamentares indefinidos na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) sobre a aceitação ou não da denúncia do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, contra o presidente Michel Temer (PMDB) por corrupção passiva, no âmbito da Lava Jato. Um conjunto de 21 deputados já se manifestaram a favor da denúncia e apenas 9 contra. 

A indefinição de membros da bancada do DEM se deve à possibilidade do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, assumir a cadeira de Presidente da República no caso de afastamento de Michel Temer. Nessa hipótese outro parlamentar maranhense, o vice-presidente André Fufuca (PP), deve assumir a cadeira principal da Casa, por ser o sucessor natural de Maia. 

Na tarde da segunda-feira, 10, o deputado federal Sergio Zveiter (PMDB-RJ), relator da denúncia contra Michel Temer (PMDB) na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), defendeu a aceitação pela Câmara da acusação apresentada pela Procuradoria-Geral da República (PGR). “A denúncia é grave”, disse o relator. Apesar de ser do mesmo partido do presidente, Zveiter já era considerado um parlamentar de atuação independente, provocando o temor na base aliada de que poderia adotar essa posição diante da denúncia.

“O que está em discussão não é o direito individual do presidente, mas Presidência da República, daí a necessidade de se fazer uma analise criteriosa do conjunto dos indícios colhidos no inquérito”, afirmou. “Por tudo o que vimos e ouvimos, não é fantasiosa a acusação. É o que temos e o que deve ser apurado”, disse.

A previsão é que até esta quarta-feira, 12, devem ser iniciados os debates, onde os 66 titulares da CCJ e 66 suplentes terão direito á fala. Os líderes partidários também podem se manifestar a qualquer momento. A expectativa é que a Comissão analise o relatório de Zveiter até a próxima sexta-feira, em votação simbólica que pode influenciar a decisão do plenário. Lá, o parecer do parlamentar precisa do apoio de 342 dos 513 deputados para ser aprovado, em votação nominal e aberta.

segunda-feira, 10 de julho de 2017

Marcial Lima lamenta morte de agente penitenciário e chama atenção do Judiciário para a soltura indiscriminada de presos perigosos


O líder do PEN na Câmara Municipal de São Luís, vereador Marcial Lima (foto), usou a tribuna da Casa para lamentar o episódio de mais um caso de assassinato na Avenida Litorânea. O parlamentar fez referência aos disparos de arma de fogo que levaram à morte do agente penitenciário temporário, Jorge Luís Lobo da Cunha, 38 anos, que era lotado no Centro de Detenção Provisória (CDP), em Pedrinhas,  e foi alvo de mais uma pessoa do submundo do crime que se encontrava em liberdade. 

"Quem matou o agente penitenciário (Idael Melo Roxo) tem um histórico e um perfil de criminoso e pode ser um maníaco, e que pode ter matado outro agente penitenciário, no bairro do ANil. Como uma pessoa dessa está em liberdade, tirando a vida de um pai de família, um trabalhador?", indagou Marcial Lima. Na oportunidade, ele lembrou do assassinato do jornalista Décio Sá. "Tivemos um colega morto na Avenida Litorânea, que foi o jornalista Décio Sá", complementou.

Marcial destacou o empenho do sistema de segurança, pois logo depois do fato consumado, a polícia entrou em ação e conseguiu prender o suposto homicida. "Que se analise essa soltura de criminosos. Mais de 70% dos crimes de homicídio ou latrocínio são cometidos por alguém que já passou por uma unidade prisional. Fica aqui o alerta ao Poder Judiciário para que possa acompanhar esse caso com muita atenção", advertiu o vereador.

"As lanças e as armas estão apontadas diretamente pra mim", diz Astro de Ogum


O presidente da Câmara Municipal de São Luís, vereador Astro de Ogum (PR/foto), usou a tribuna da Casa nesta segunda-feira, 10, para desmontar uma farsa política que vem sendo orquestrada na imprensa (leia-se jornal O Estado do Maranhão) sobre eventuais intrigas que ele teria com o vice-presidente Osmar Filho (PDT). "Não estou aqui em disputa para presidência da Câmara de São Luís. Aconteça o que acontecer a minha amizade com Vossa Excelência (vereador Osmar Filho) será sempre a mesma. Considero aqui nesta Casa todos como amigos e amigas", declarou.

Na oportunidade, Astro ressaltou que preferia tratar daquilo que foi dito por ele antes da campanha à Mesa Diretora. "Me elegi presidente desta Câmara com o propósito de revitalizar, reorganizar e adequar esta Casa. Não estou desprezando nenhum colega. Quero dizer à toda imprensa que não é presidência de Câmara que vai fazer inimizade com o vereador Osmar Filho. Temos uma amizade muito boa", frisou.

Astro reafirmou não estar pretendendo disputar nada na Casa. "Quem está pensando nisso, está completamente errado. Estou nesta Casa em nome das minorias. Isso incomoda bastante, eu sei disso. As lanças e as armas estão apontadas diretamente pra mim. Eu sei disso. Quando cheguei nesta Casa, passei dois meses como se estivesse na escolinha do Professor Raimundo. Tinham intelectuais aqui e só depois de dois meses é que usei a tribuna pela primeira vez. Aprendi muito com os ex-presidentes Francisco Carvalho, Ivan Sarney e Pereirinha e outros vereadores", enfatizou.

"Precisamos refletir a política no nosso país e no Maranhão", diz Maura Jorge


A ex-prefeita de Lago da Pedra e ex-deputada estadual Maura Jorge (Podemos) esteve nesta segunda-feira, 10, no programa Bom Dia Maranhão, da TV Difusora, para falar sobre o lançamento de sua pré-candidatura ao governo do estado, ocorrida no último fim de semana. Ela reafirmou que esse novo projeto em sua vida é fruto do vácuo político aberto no Maranhão. 

Segundo Maura Jorge, sua pré-candidatura trará mais uma alternativa para que o povo possa ter a oportunidade de escolher o melhor candidato que possa gerenciar o Palácio dos Leões após a eleição de 2018. Além da ex-prefeita, figuram como pré-candidatos o governador Flávio Dino (PCdoB), que busca a reeleição, e a ex-governadora Roseana Sarney (PMDB) que tenta voltar ao comando do Maranhão.